quarta-feira, 1 de julho de 2015

DIÁRIO DE LEITURAS - 01/07/2015

Tentativa frustrada de comprar um Kindle Paperwhite - A Saga


Vou contar minha experiência frustrada de hoje... Tenho um Kindle básico (sem iluminação) e decidi que queria um Paperwhite. Ok! Decisão tomada, fui até uma grande rede de mercados que também vende o dispositivo - pode me bater, mas não conto que foi no Extra - e vi os modelos disponíveis no balcão de exposição. Daí pra frente foi uma sucessão de problemas irritantes...

Tudo começou com o aparelho exposto que acionava uma sirene maluca de segurança toda hora. Eu tentando manusear o troço, o apito tocando alucinado, todos os funcionários da loja tentando parar a sirene, e as pessoas olhando pra mim... Tenso! 

Depois disso, decidi não olhar mais e avisei que queria comprar um. Todos aqueles vendedores que estavam tentando desligar a sirene sumiram como mágica. Foi uma saga encontrar algum que pudesse fazer a venda do Kindle. 

Ok! Quando encontrei um que podia fechar a venda, segurei com todas as forças... rsrs. Ele consultou algumas coisas no computador (sei lá o quê, mas demorou...), pegou todos os meus dados pra nota fiscal, preencheu tudo no sistema, ofereceu garantia estendida e tudo o mais. Imprimiu o papel da venda e disse que ia no estoque confirmar a disponibilidade... Ué! Mas ele não podia ter feito isso antes de pegar todos os meus dados e fazer consultas infinitas naquele computador? Mas ok! Eu estava zen tentando comprar meu novo e-reader. Ele foi até o estoque... Demorou... Demorou... E enquanto eu esperava, um outro funcionário maluco veio puxar conversa comigo, perguntando sobre o Kindle e tal. Eu disse que já tinha um e que tinha decidido comprar um modelo melhor e talvez fosse vender o outro. O cara começou com um papinho de Sidarta, Buda e desapego, dizendo que eu tinha que dar o outro aparelho pra ele, porque as pessoas não podem alcançar a felicidade se tiverem apego aos seus bens materiais... Pensei que ele estava brincando, claro. "Vai ver é uma piadinha espirituosa" - pensei. Mas com o passar dos longos minutos percebi que ele falava sério. Já queria meus contatos pra combinar a entrega do Kindle. Ímã de maluco mode on.

Depois de um tempão de espera e conversa maluca, o outro vendedor (aquele que tinha ido ao estoque) voltou. Voltou pra me avisar que eles tinham o aparelho disponível. Me orientou a pagar a compra no caixa, enquanto ele voltaria lá no estoque pra buscar e me entregar o produto... Pensei: "Ele já podia ter trazido, né? Mas tudo bem! Vai ver ele quer se exercitar subindo e descendo escadas... rsrs."

O aparelho estava R$ 20,00 mais caro que na Amazon, mas resolvi aceitar o preço mesmo assim, afinal já estaria levando o dispositivo pra casa, sem espera e sem frete. Perguntei se o valor poderia ser parcelado. Ele respondeu que ACHAVA que sim, mas que só no caixa poderiam confirmar. Humm... isso não me cheira bem... Mas ok! Ainda estava zen nessa hora. 


Fui até o caixa do mercado, mas só para descobrir que existia um caixa específico para compra de eletrônicos... Ok! Zen... Zen... Fui até o tal caixa onde fui atendida por uma moça que não deve sorrir faz um bom tempo. Abri meu melhor sorriso (vai que ela se anima... rs) e entreguei o papel da venda. Ela pegou o papel e o cartão de crédito da minha mão (sem responder o meu "boa noite") e enfiou na máquina. Perguntei em quantas parcelas poderia dividir a compra. "Não sei! Preciso passar o cartão pra ver em quantas vezes o sistema deixa parcelar" foi a resposta. Tudo bem! Tô zen ainda! Ela passou o cartão e disse que só podia parcelar em duas vezes. DUAS VEZES! Todo o meu sentimento zen passou nessa hora, a baiana baixou e acabou todo o prazer da compra. "O quê? O troço custa quase quinhentos reais e só posso parcelar em duas vezes??? No site vocês parcelam em até 12 vezes sem juros com qualquer cartão de crédito...". A resposta da vendedora padrão Fifa: "A senhora não pode pagar esse valor de parcela? Pode comprar no site então!". 

Eu obviamente peguei meu cartão, coloquei na minha bolsa, disse para cancelar a venda, virei as costas e nem olhei pra trás. O problema não era o valor da parcela, mas sim toda a novela do mau atendimento. Se ela fosse uma pessoa um pouco mais educada e carismática talvez eu tivesse comprado à vista, mas com aquele mau humor e falta de tato nem balinha compro dela.

E depois dessa experiência frustrada, continuo com o outro Kindle (que adoro!). Vou deixar o Paperwhite pra próxima. E com certeza a compra não será nesse mercado. 

Ufa! Desabafei... Saí bufando de lá e precisava contar pra alguém. Agora estou mais leve... rsrsrs

2 comentários:

  1. Gente, nem eu compraria!
    Beth como você aguenta ser tão calma assim?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que hoje eu tava muuuuuito zen... kkkkkk

      Excluir